Academic literature on the topic 'Displasia broncopulmonar'

Create a spot-on reference in APA, MLA, Chicago, Harvard, and other styles

Select a source type:

Consult the lists of relevant articles, books, theses, conference reports, and other scholarly sources on the topic 'Displasia broncopulmonar.'

Next to every source in the list of references, there is an 'Add to bibliography' button. Press on it, and we will generate automatically the bibliographic reference to the chosen work in the citation style you need: APA, MLA, Harvard, Chicago, Vancouver, etc.

You can also download the full text of the academic publication as pdf and read online its abstract whenever available in the metadata.

Journal articles on the topic "Displasia broncopulmonar":

1

Monte, Luciana F. Velloso, Luiz Vicente F. da Silva Filho, Milton Harumi Miyoshi, and Tatiana Rozov. "Displasia broncopulmonar." Jornal de Pediatria 81, no. 2 (April 2005): 99–110. http://dx.doi.org/10.1590/s0021-75572005000300004.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
2

Pérez, Jesús, Dolores Elorza, and Ana María Sánchez. "Displasia broncopulmonar." Anales de Pediatría Continuada 7, no. 1 (February 2009): 1–7. http://dx.doi.org/10.1016/s1696-2818(09)70444-5.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
3

Mataloun, Marta M. G. B. "Displasia broncopulmonar." Revista de Medicina 82, no. 1-4 (December 29, 2003): 34–39. http://dx.doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v82i1-4p34-39.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
Displasia broncopulmonar é uma das principais causas de morbimortalidade no período neonatal, tendo uma incidência de até 71% em recém-nascidos pré-termo extremos. A incidência é variável, dependendo da definição utilizada e dos cuidados adotados aos recém-nascidos nas diferentesunidades de terapia intensiva neonatal. A definição de displasia broncopulmonar (DBP) é a necessidade de oxigênio por até, pelo menos 28 dias de vida em recém-nascidos tratados com ventilação mecânica ou oxigênio, nos primeiros dias de vida, com alterações radiológicas e sintomas de insuficiência respiratória crônica. Ocorre em recém-nascidos pré-termo e é multifatorial , tendo como principais fatores etiológicos, uso de ventilação mecânica e, ou oxigênio, processos inflamatórios ou infecciosos, canal arterial persistente e oferta nutricional inadequada. Procura-se sobretudo, reduzir a incidência de nascimentos derecém-nascidos pré-termo e abordar os vários fatores de risco, para minimizar a lesão pulmonar, e assim diminuir a chance de desenvolver displasia broncopulmonar. É importante ressaltar que o uso de oxigênio para manter oxigenação adequada é essencial na terapia de DBP, pois uma oxigenação inadequada causa dificuldade para crescer, broncoconstricção e hipertensão pulmonar. Além de uma terapia adequada, deseja-se que toda gestante realize um pré-natal adequado para diminuir a incidência de nascimentosprematuros.
4

Silva, Geovany Antonio Alves, Amanda Letícia Medeiros Annes, Maria Dilma Bezerra de Vasconcelos Pisco, and Ricardo Martins Silva. "Displasia Broncopulmonar: Definição, Fisiopatologia e Tratamento: Revisão da Literatura." Inova Saúde 6, no. 1 (July 27, 2017): 93. http://dx.doi.org/10.18616/is.v6i1.2746.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
Resumo:Objetivos: Apresentar uma revisão da literatura sobre a displasia broncopulmonar, sua fisiopatologia e suas formas de tratamento. Metodologia: Tratou-se de uma revisão da literatura sobre a broncodisplasia pulmonar.Na coleta de dados foi realizada a busca de artigos científicos indexados em bancos de dados e artigos de revistas de saúde que não fosse indexadaos mas que possuíssem número de ISSN. Utilizou-se artigos em português, inglês e espanhol. Foram utilizadas as seguintes palavras-chaves: Displasia broncopulmonar, ventilação mecânica, oxigenoterapia, recém-nascido pré-termo, síndrome do desconforto respiratório.A Pesquisa foi realizada em setembro a outubro de 2016 e foram utilizados 34 artigos 2000 a 2016. Discussão: A displasia broncopulmonar é uma doença multifatorial. Que vai desde a intoxicação por frações inspiradas de oxigênio elevadas, uso de ventilação mecânica invasiva por longos períodos de tempo, a doenças pré-existentes, como persistência do canal arterial, síndrome das membranas hialinas (síndrome do desconforto respiratório do recém-nascido), infecções neonatais e outras doenças. Considerações Finais: A displasia broncopulmonar tem modificado sua forma de apresentação desde a primeira descrição até hoje, porém o cuidado com os recém nascidos com baixo peso, tem se mostrado medidas eficientes no manejo e tratamento da displasia broncopulmonar.Palavras-chaves: Displasia broncopulmonar, ventilação mecânica, oxigenoterapia, recém-nascido pré-termo, síndrome do desconforto respiratório.
5

Pizarro, M. Ester, and M. Angélica Oyarzún. "ACTUALIZACIÓN EN DISPLASIA BRONCOPULMONAR." Neumología Pediátrica 11, no. 2 (October 8, 2021): 76–80. http://dx.doi.org/10.51451/np.v11i2.305.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
La displasia broncopulmonar (DBP) es una de las enfermedades pulmonares crónicas frecuentes en pediatría. Los avances experimentados en las últimas décadas en cuidados perinatales y la sobrevida de prematuros cada vez más extremos han demostrado un cambio global en las características de esta enfermedad dando lugar al concepto de nueva displasia , en cuyo desarrollo son fundamentales la exposición del pulmón inmaduro a diversos factores como deficiencia nutricional, infecciones pre y post-natales, ductus arterioso persistente, y susceptibilidad genética. El presente articulo revisa las características más relevantes de esta patología , su enfrentamiento global, manejo y seguimiento ambulatorio.
6

Sancho-Hernández, R., M. Rojas-Maruri, and L. Solorio-Rodríguez. "La antigua displasia broncopulmonar organizada en la era de la nueva displasia broncopulmonar." Acta Pediátrica de México 37, no. 3 (May 26, 2016): 165. http://dx.doi.org/10.18233/apm37no3pp165-174.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
Varón de 10 meses de edad sin antecedentes heredofamiliares ni personales patológicos de importancia. Producto gemelar de la primera gesta obtenido de 26.5 semanas de gestación sin esquema de esteroide prenatal, con peso de 800 g y talla de 35 cm al nacer; Apgar 7-8 que requirió de intubación endotraqueal para aplicación de surfactante.
7

Castignani, M., and H. Rocha. "Anestesia regional en displasia broncopulmonar." Revista Argentina de Anestesiología 75 (December 2017): 5–6. http://dx.doi.org/10.1016/j.raa.2017.11.011.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
8

Sánchez Luna, M., J. Moreno Hernando, F. Botet Mussons, J. R. Fernández Lorenzo, G. Herranz Carrillo, S. Rite Gracia, E. Salguero García, and I. Echaniz Urcelay. "Displasia broncopulmonar: definiciones y clasificación." Anales de Pediatría 79, no. 4 (October 2013): 262.e1–262.e6. http://dx.doi.org/10.1016/j.anpedi.2013.02.003.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
9

Sánchez-Solís, Manuel, and Luis García-Marcos. "Displasia broncopulmonar: importancia del ejercicio físico." Archivos de Bronconeumología 55, no. 12 (December 2019): 609–10. http://dx.doi.org/10.1016/j.arbres.2019.01.019.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
10

Evangelista, Daiana, and Andressa Oliveira. "Transição alimentar em recém-nascidos com displasia broncopulmonar." Revista CEFAC 11, no. 1 (March 2009): 102–9. http://dx.doi.org/10.1590/s1516-18462009000100014.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
OBJETIVO: verificar o tempo de transição da sonda para a via oral plena nos lactentes com Displasia Broncopulmonar (DBP) e descrever as intercorrências observadas durante os períodos de alimentação. MÉTODOS: revisão de prontuários do setor de Fonoaudiologia de 32 lactentes nascidos no Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE/UERJ) divididos em 2 grupos. Grupo 1: 18 lactentes com diagnóstico de DBP; grupo 2: 18 lactentes com idade gestacional entre 29 e 32 semanas sem complicações clínicas relevantes que foram utilizados como grupo controle. Foram registrados o tempo de transição alimentar, as intercorrências durante a alimentação e via oral na alta hospitalar de ambos os grupos. RESULTADOS: média e desvio padrão do tempo de transição alimentar dos grupos 1 e 2 respectivamente: 18,22 dias e 14,79; 6,50 dias e 3,68, com p=0,002. Nos broncodisplásicos foram comuns intercorrências respiratórias, dificuldade de coordenação sucçãoXrespiraçãoXdeglutição, dificuldades no padrão oral, além de sinais de retraimento e rebaixamento do estado de consciência durante a alimentação. Apesar disso, 10 lactentes (52,63%) tiveram alta em aleitamento materno exclusivo e 3 (15,78%) em aleitamento misto. CONCLUSÃO: pacientes com DBP precisaram de um período maior de treino de VO (18 dias), além de serem passíveis de intercorrências durante a alimentação. No entanto, constata-se que foi possível o aleitamento materno exclusivo.

Dissertations / Theses on the topic "Displasia broncopulmonar":

1

DUARTE, Paula Eylla Cristina Rodrigues. "Fatores associados à displasia broncopulmonar." Universidade Federal de Pernambuco, 2010. https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9130.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:13:19Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1465_1.pdf: 980632 bytes, checksum: d299e37c92ac4c66e60f773521354eaf (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2010
Introdução: a displasia broncopulmonar (DBP) é uma doença pulmonar crônica, que acomete principalmente neonatos pré-termos submetidos à ventilação mecânica e oxigênio por períodos prolongados. Conhecer, portanto, as estratégias ventilatórias e de exposição ao oxigênio empregadas nesta população, pode ajudar a estabelecer condutas que minimizem a injúria pulmonar, melhorando os resultados nos cuidados à criança de risco. Objetivos: descrever os fatores neonatais e de assistência ventilatória associados à DBP, além de verificar sua frequência em recém-nascidos prematuros ventilados na primeira semana de vida em uma unidade neonatal. Métodos: estudo descritivo, com componente analítico, de caráter exploratório, realizado retrospectivamente, na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do Hospital das Clínicas, vinculado à Universidade Federal de Pernambuco, em Recife, Brasil, no período de janeiro de 2006 a dezembro de 2008. Foi realizada uma revisão de prontuários de todos os recém-nascidos prematuros (idade gestacional inferior a 37 semanas), submetidos à ventilação mecânica na primeira semana de vida. Seus dados foram registrados até o 28º dia de vida quando eram classificados quanto aos desfechos: com e sem DBP. Resultados: das 145 crianças estudadas 59 (40,7%) faleceram e apenas 86 (59,3%) sobreviveram até o 28º dia de vida. Destas, 15 (17,4%) evoluíram com a DBP. As médias de peso ao nascer (940±318 versus 1508±456 gramas) e idade gestacional (27,45±2,45 versus 31,92±2,02 semanas) foram menores nas crianças com DBP (p<0,001). Elas também utilizaram antibióticos (25,93±3,28 versus 16,79±6,88 dias) e nutrição parenteral (17,87±5,96 versus 10,52±5,62 dias) por um maior período (p<0,001). Entre aqueles com a DBP o volume de nutrição enteral (75,63±45,98 ml versus 120±46,40 ml) administrado foi significativamente inferior ao recebido pelas demais (p=0,003). A ventilação mecânica foi o suporte respiratório primariamente instituído nos prematuros do grupo com DBP (80% versus 41,8%) (p=0,007). No 15º dia de vida 66,7% deles ainda permaneciam em ventilação mecânica e apenas 2,8% daqueles sem DBP utilizavam este recurso (p<0,001). Os valores médios de pressão inspiratória positiva (16,22±2,10 cmH2O versus 16,02±2,88 cmH2O; p=0,760), pressão positiva expiratória final (4,57±0,25 cmH2O versus 4,47±0,35 cmH2O; p=0,205) e diferença de pressão (11,91±1,73 cmH2O versus 11,46±2,63 cmH2O; p=0,407) não diferiram entre os grupos com e sem DBP respectivamente. Já a fração inspirada de oxigênio média foi maior no grupo com a doença (0,47±0,10 versus 0,42±0,14; p=0,038). Conclusão: as crianças com DBP eram mais prematuras, com menor peso ao nascer e permaneceram mais dias em ventilação mecânica. Verificou-se ainda, que os níveis médios das pressões utilizadas durante a ventilação mecânica foram semelhantes entre os grupos estudados. Já a concentração média de oxigênio utilizada, foi mais alta entre as crianças do grupo com DBP. Palavras-chave: prematuro, unidades de terapia intensiva neonatal, respiração artificial, oxigenoterapia, mortalidade neonatal, displasia broncopulmonar
2

Lemos, Carolina Cruz Gomes de. "Displasia Broncopulmonar: Estudo de uma amostragem." Dissertação, Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, 2009. http://hdl.handle.net/10216/52732.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
3

Lemos, Carolina Cruz Gomes de. "Displasia Broncopulmonar: Estudo de uma amostragem." Master's thesis, Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, 2009. http://hdl.handle.net/10216/52732.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
4

Amador, Jose Carlos. "Estudo do desenvolvimento dos lactentes com displasia broncopulmonar." [s.n.], 2004. http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308294.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
Orientador: Antonio Condino Neto
Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas
Made available in DSpace on 2018-08-04T00:38:53Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Amador_JoseCarlos_D.pdf: 1843807 bytes, checksum: ba34a6dfae7f8c618ae734aef0820d8b (MD5) Previous issue date: 2004
Resumo: Este estudo teve como objetivo analisar prospectivamente o desenvolvimento ponderal e neuropsicomotor de dois grupos de crianças nascidas com peso inferior a 1.500g, com e sem DBP, observar as principais intercorrências dessas crianças no período de estudo, observar quais variáveis influenciaram no diagnóstico da DBP e comparar os resultados obtidos com os trabalhos mais recentes da literatura mundial. Foram analisadas 22 crianças com peso inferior a 1.500g, que deram entrada na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, do Hospital Universitário Regional de Maringá, no período de 01de outubro de 1999 a 30 de junho de 2001 As crianças foram divididas em 2 grupos: grupo DBP, e grupo controle. Para definição de DBP utilizou-se o critério de Shennan. As principais variáveis estudadas foram: idade gestacional, peso ao nascimento, peso aos 6 meses de idade gestacional corrigida, avaliação do desenvolvimento neuropsicomotor (Teste de Denver). Os testes utilizados para as comparações foram os de Mann-Whitney, Fischer e Pearson. Os resultados demonstram que o desenvolvimento ponderal é menor no grupo DBP. Os pesos em Kg ao nascimento e no sexto mês de idade gestacional corrigida foram significativamente menores no grupo DBP (respectivamente 0,92 ± 0,18 e 5,73 ± 1,55) comparados ao grupo controle (respectivamente 1,18 ± 0,17 e 7,19 ± 1,17, p<0,05) Os comprimentos em cm ao nascimento e no sexto mês de idade gestacional corrigida, também foram significativamente menores no grupo DBP (respectivamente 33,7 ± 2 e 60 ± 3,8) em relação ao grupo controle (respectivamente 37,23 ± 1,78 e 64 ± 2,9, p<0,05). Os perímetros cefálicos ao nascimento e no sexto mês de idade gestacional corrigida em cm acompanharam as variáveis anteriores, tanto no grupo DBP ( respectivamente 24,36 ± 1,99 e 40,71 ± 2,02, p<0,05), como no grupo controle (26,43 ± 1,78 e 43,3 ± 1,5, p< 0,05). As crianças do grupo DBP necessitaram mais tempo de VPM 27,8 dias (±25,3) do que o grupo controle de13,9 dias (±11,3). O tempo total de dependência do O2 no grupo com DBP foi de 59,7 dias (±14,6) e no grupo controle 13,5 (±11,6). O tempo para recuperar o peso de nascimento foi maior nas crianças do grupo DBP, de 20,9 (± 6,6) dias, enquanto o grupo controle precisou de 13,4 (±5,5) dias. As crianças do grupo DBP foram expostas a concentrações de O2 e a picos de hipo e hipercapnemia maiores do que o grupo controle. Com exceção do tempo de VPM, essas diferenças foram significativas (p<0,05, teste de Mann-Whitney).As crianças do grupo DBP apresentaram mais complicações e internações, principalmente pulmonares, em relação ao grupo controle. Não houve diferenças significativas no Apgar, tanto no 1º, quanto no 5º minutos entre os grupos. Na avaliação do desenvolvimento neuropsicomotor, todas as crianças do grupo DBP apresentaram algum tipo de alteração, já no grupo controle somente um apresentou alteração. Os resultados encontrados, quando comparados com os trabalhos pesquisados com crianças de mesmo peso e idade gestacional, são muito semelhantes, levando-se às seguintes conclusões: o peso ao nascimento está associado à DBP, e estas crianças apresentam mais intercorrências, menor ganho ponderal e alteração no desenvolvimento neuropsicomotor
Abstract: This work has the aim to analyze prospectively the weight and height evolution and the neuropsychomotor development of two groups of children who were born with less than 1500g with or without bronchopulmonary dysplasia; to observe their main disorders during the study period; to observe the variables which had influence in the diagnosis of the bronchopulmonary dysplasia and to compare the results in the medical literature. It was analyzed twenty two children presenting less than 1,500g which were attended in the Neonatal Intensive Care Unit of the Hospital Universitário Regional de Maringá, from October 1st , 1999 to June 30th , 2001. The children were classified in two groups: bronchopulmonary dysplasia group and control group. To define bronchopulmonary dysplasia it was used the Shennan criteria. The main variables were: gestational age, birth weight, weight at 6 months of corrected gestational age, and evaluation of neuropsychomotor development (Test of Denver). The tests used for comparisons were Mann-Whitney, Fischer, and Pearson. The results showed that during birth, the bronchopulmonary dysplasia group presented an averaged weight of 0.922 Kg (± 0.18) and the control group presented 1.187 Kg (± 0.17). At 6 months of corrected gestational age, the average weight of the bronchopulmonary dysplasia group was 5.73 Kg (± 1.55) and the control group was 7.19 Kg (± 1.17). At the sixth month of age, the bronchopulmonary dysplasia group presented an average length of 60 cm (±3.8) and the cephalic perimeter of 40.71 cm (±2.02), lower than the control group. The bronchopulmonary dysplasia group needed longer VPM time (7.8 days, ±25.3) compared to the control group (13.9 ± 11.3 days). The total time of O2 dependence in the bronchopulmonary dysplasia group was 59.7 days (±14.6) and in the control group was 13.5 days (±11.6). The time to recover birth weight was longer in the bronchopulmonary dysplasia group (20.9 ± 6.6 days), compared to the control group (13.4 ±5.5 days). The bronchopulmonary dysplasia group was exposed to a higher O2 concentration and to several peaks of hypo and hypercapnemia than the control group. These differences were significant (p<0.05, Mann-Whitney test). The bronchopulmonary dysplasia group presented more complications and attendance at the hospital, mainly lung problems compared to the control group. The Apgar index, in the first and fifth minute was lower in the bronchopulmonary dysplasia group. In the evaluation of the neuropsychomotor development, all children with bronchopulmonary dysplasia presented some kind of delay. In the control group, only one child presented this feature. Our results were very similar to other reports comparing children with the same weight and gestational age. We conclude that the birth weight is associated to the bronchopulmonary dysplasia and the children present more disorders, lower weight and height gain, and delay in the neuropsychomotor development
Doutorado
Pediatria
Doutor em Saude da Criança e do Adolescente
5

Souza, Tathiana Ghisi de. "Avaliação neurologica de recem-nascidos pre-termo com displasia broncopulmonar." [s.n.], 2008. http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309152.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
Orientador: Emilio Carlos Elias Baracat
Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas
Made available in DSpace on 2018-08-10T19:56:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Souza_TathianaGhiside_M.pdf: 2695580 bytes, checksum: b0307c601001a0729b775051fc783c4c (MD5) Previous issue date: 2008
Resumo: Recém-nascidos prematuros correspondem de 7 a 10% de todos os nascimentos, mas concentram aproximadamente 85% de todas as complicações perinatais, com alto risco para o desenvolvimento de lesões pulmonares, principalmente a displasia broncopulmonar (DBP), e do sistema nervoso central. O objetivo deste estudo foi descrever e comparar a avaliação neurológica de recém-nascidos pré-termo (RNPT) com e sem DBP. Recém-nascidos pré-termo com peso de nascimento inferior a 1.500g e idade gestacional menor de 32 semanas foram avaliados com 40 semanas de idade gestacional corrigida, no Centro de Atenção Integral a Saúde da Mulher (CAISM) da UNICAMP. Foi utilizada a Avaliação Neurológica de Dubowitz, composta integralmente por 34 itens, dos quais 29 foram avaliados, divididos em 6 categorias: tônus, padrões de tônus, reflexos, movimentos, sinais anormais e comportamento. O estado de consciência do RN no momento do exame foi graduado utilizando-se os 6 graus definidos por BRAZELTON (1973). No período de janeiro de 2005 a setembro de 2007, vinte e quatro recém-nascidos, 12 com DBP e 12 controles sem a doença foram avaliados. A idade média de nascimento foi de 28 semanas (+- 1,38) no grupo com DBP e 31 semanas (+- 1,44) no grupo controle; peso médio no grupo de estudo de 884g (+- 202g) e no grupo controle de 1.156g (+- 216g). Dezoito dos 29 itens avaliados foram homogêneos entre os grupos (p = 1,00) e a pontuação geral dos dois grupos não apresentou diferença (p = 0,30). Na análise dos dados descritivos, observou-se um percentual maior de anormalidade no grupo com DBP em oito itens. A avaliação neurológica de RNPTs com e sem Displasia Broncopulmonar, pelo método Dubowitz, não apresenta diferença às 40 semanas de idade gestacional corrigida
Abstract: Preterm newborns corresponds to 7 to 10% of all births, but concentrates approximately 85% of all perinatal complications, with high risk of pulmonary injuries development, mainly bronchopulmonary dysplasia (BPD), and in the central nervous system. This study objective describes and compares preterm newborns neurological assessment with and without BPD. Preterm newborns with birth weight less than 1.500g and gestational age less than 32 weeks were evaluated by Dubowitz Method, with 40 weeks corrected gestational age, at Centro de Atenção Integral a Saúde da Mulher (CAISM) - UNICAMP. Dubowitz Neurological Assessment was used, consisting of 34 items, which 29 were evaluated, grouped in 6 categories: tone, tone patterns, reflexes, movements, abnormal signs and behavior. Newborn behavioral state was graded in 6 degrees defined by BRAZELTON (1973). From January 2005 to September 2007, twenty four newborns with average birth age of 28 weeks (+- 1,38) from BPD group and 31 weeks (+- 1,44) from control group were evaluated; Study¿s group mean weight was 884g (+- 202g) and control¿s group was 1.156g (+- 216g). Eighteen from 29 checked items were classified as homogeneous among groups (p = 1.00) and general score on two groups were not significantly different (p = 0.30). When analyzed in descriptive manner, the data showed greater abnormality percentage on the BPD group in eight items. The neurological assessment using Dubowitz Neurological method on preterm newborns with and without BPD does not show differences from 40 weeks corrected gestational age
Mestrado
Saude da Criança e do Adolescente
Mestre em Saude da Criança e do Adolescente
6

Pereira, Silvana Alves. "Avaliação precoce do comportamento oculomotor em bebês com displasia broncopulmonar." Universidade de São Paulo, 2011. http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47135/tde-20042012-115806/.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
O presente estudo avaliou o sistema oculomotor medido por movimentos oculares em bebês com diagnóstico de Displasia Broncopulmonar (DBP). Bebês com idade gestacional 37 semanas, dependentes de oxigênio em concentrações acima de 21% por mais de 28 dias foram incluídos no grupo DBP, bebês nascidos a Termo (idade gestacional > 37 semanas), não internados foram incluídos no grupo nascido a termo e bebês prematuros (idade gestacional < 37 semanas), que permaneceram internados e que não fizeram uso de oxigênio por mais de 10 dias foram incluídos no grupo prematuro. Os bebês dos três grupos tinham exame oftalmológico de biomicroscopia e de fundo de olho com resultados normais. Foram excluídos do estudo, bebês em uso de oxigênio sob ventilação mecânica e/ou drogas vasoativas, com diagnóstico de hemorragia intracraniana, retinopatia da prematuridade e malformações motoras e/ou neurológicas congênitas ou adquiridas identificadas no exame neonatal ou durante a estadia no berçário. Todos os bebês realizaram uma única avaliação binocular. As avaliações foram realizadas com os bebês sentados confortavelmente e eram compostas pela avaliação de quatro movimentos oculares: sacadas (SAC), perseguição lenta (PL), reflexo vestíbulo-ocular (RVO) e nistagmo optocinéticos (NOC). Os movimentos oculares foram transcritos em variável categórica (presente ou ausente) e para análise estatística foram feitas comparações entre o grupo DBP, grupo nascido a termo e grupo prematuro (Teste Cochran Q), para garantir a confiabilidade dos resultados apresentados durante a avaliação, 28% da amostra foi avaliada por três observadores e um teste de aderência X2 foi utilizado para medir a confiabilidade entre os três observadores. Durante o estudo foram avaliados 109 bebês, 107 foram incluídos no estudo, dois bebês, com IG < 37 semanas, foram excluídos por usarem oxigênio por um tempo igual há 15 dias. Dos 107 bebês avaliados, 23 foram inclusos no grupo DBP, 47 no grupo nascido a termo e 37 no grupo prematuro. Os bebês do grupo DBP tiveram IG média de 32 semanas ± 3 semanas, APGAR 1° minuto 6 ± 1, 5° minuto 8 ± 2, 37 dias em oxigênio ± 10 dias, na quantidade média de 2 L/min ± 0,5 L/min. O peso de nascimento, idade gestacional, APGAR NO 1° e 5° minutos do grupo nascido a termo, DBP e Prematuro diferem significativamente entre si (Teste Kruskal-Wallis p = 0.0000, 0.0000, 0.0000, 0.0013 e 0.0001, respectivamente). O grupo nascido a termo apresentou maiores valores quando comparado ao grupo DBP e prematuro. Bebês com DBP manifestam ausência de três dos quatro tipos de movimentos oculares medidos quando comparado com o grupo nascido a termo e prematuro (Teste Q Cochran onde Q > 2 e p, < 0,05)
This study evaluated the oculomotor system measured by eye movements in infants diagnosed with bronchopulmonary dysplasia (BPD). Infants 37 weeks gestational age, oxygen-dependent at concentrations above 21% for more than 28 days were included in the BPD group, term infants (gestational age > 37 weeks), not hospitalized were included in term groups and preterm infants (gestational age < 37 weeks), who remained hospitalized and did not use oxygen for more than 10 days were included in the premature group. The three groups of babies had eye examination and biomicroscopy of the fundus with normal results. Excluded from the study, babies on oxygen in mechanical ventilation and/ or vasoactive drugs; with a diagnosis of intracranial hemorrhage, retinopathy of prematurity, motor and/or neurological congenital or acquired malformations identified in neonatal or during the stay in the nursery. All infants made a single binocular assessment. The evaluations were conducted with babies seated comfortably and were composed by the evaluation of four eye movements: saccades (SAC), slow pursuit (PL), vestibuloocular reflex (VOR) and optokinetic nystagmus (NOC). Eye movements were transcribed into a categorical variable (present or absent) and statistical analysis were made between BPD group, term group and premature group (Cochran Q test) to ensure reliable of the results presented during the evaluation, 28 % of the sample was evaluated by three observers and an adherence X2 test was used to measure the reliable between three observers. During the study, 109 infants were evaluated, 107 were included in the study, two infants with GA < 37 weeks, were excluded by using oxygen for a time equal to 15 days. Of the 107 infants evaluated, 23 were included in the BPD group, 47 in the term group and 37 in the premature group. Babies in the BPD group had GA of 32 weeks ± 3 weeks, APGAR 1st minute 6 ± 1, 5th minutes 8 ± 2, 37 days ± 10 days in oxygen, in the median amount of 2 L / min ± 0.5 L / min. Birth weight, gestational age, APGAR score at 1st and 5th minutes from the term group, DBP and Premature differ significantly (Kruskal-Wallis test p = 0.0000, 0.0000, 0.0013 and 0.0001, respectively). The term group had higher values when compared to the BPD and premature. Babies with BPD manifest absence of three of the four types of eye movements measured when compared with the term group and preterm (Cochran Q test where Q > 2 and p < 0.05)
7

Areias, Maria Hercília Ferreira Guimarães Pereira. "Avaliação de novas terapêuticas por via inalatória na prevenção da displasia broncopulmonar." Tese, Universidade do Porto. Reitoria, 1992. http://hdl.handle.net/10216/10485.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
8

Raquel, de Oliveira Lima Marcela. "Análise de fatores maternos e neonatais envolvidos no desenvolvimento da displasia broncopulmonar." Universidade Federal de Pernambuco, 2010. https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8203.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
Made available in DSpace on 2014-06-12T22:58:10Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo2802_1.pdf: 945739 bytes, checksum: a3ab5a5415711fffec507686ca8bf3c6 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2010
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Objetivo: Analisar as características epidemiológicas da displasia broncopulmonar (DBP) e suas relações com condições maternas e neonatais na Unidade Neonatal do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP). Método: Foi realizado um estudo transversal, descritivo e analítico. Os dados foram coletados através da análise de prontuários, envolvendo recém-nascidos (RNs) pré-termo com peso ao nascimento (PN) inferior a 1500g e idade gestacional (IG) abaixo de 37 semanas, internados na unidade neonatal. Resultados: Foram estudados 323 recém-nascidos com média do peso ao nascimento de 1.161g ( 231g), idade gestacional entre 24 e 36,5 semanas. A incidência da DBP foi 17,6%. Entre os RNs que desenvolveram a DBP a média de dias de uso de assistência ventilatória mecânica invasiva (AVMI), ventilação não-invasiva (VNI) e oxigênio foi, respectivamente, 17,6 dias, 16,2 dias e 46,1 dias, sendo significativamente maior nesses RNs que desenvolveram a DBP (p<0,001). A ocorrência da DBP foi significativamente maior nos RNs com diagnóstico de persistência do canal arterial (PCA). Conclusão: A incidência da DBP no IMIP é semelhante à encontrada na literatura mundial. Não houve associação entre a presença de infecção materna e o uso de corticóide ante-natal com a DBP. Os RNs que fizeram uso de surfactante tiveram maior incidência da DBP porque tinham menor PN e menor IG. A ocorrência da PCA e DBP, simultaneamente, está associada ao maior tempo de uso de AVMI, VNI e oxigênio
9

Areias, Maria Hercília Ferreira Guimarães Pereira. "Avaliação de novas terapêuticas por via inalatória na prevenção da displasia broncopulmonar." Doctoral thesis, Universidade do Porto. Reitoria, 1992. http://hdl.handle.net/10216/10485.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
10

Teixeira, Amarilis Batista. "Impacto da corioamnionite na displasia broncopulmonar em recém nascidos prematuros de muito baixo peso." Universidade Federal de Minas Gerais, 2009. http://hdl.handle.net/1843/ECJS-84XPGT.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles
Abstract:
The quality of pre and postnatal care and the structure of Neonatal Intensive Care Units have allowed the survival of increasingly premature infants, but have also increased morbidities such as bronchopulmonary dysplasia (BPD). Strong recent evidence has associated chorioamnionitis (CA) and systemic response with an imbalance between proinflammatory and antiinflammatory factors in the pathogenesis of this multifactorial disease. Understanding this process is vital for the development of appropriate strategies in preventing preterm delivery (PTD) and providing better neonatal care. The present prospective study aimed at assessing the incidence of BPD in very low birth weight infants (VLBW) and the impact of histologic CA in their development. Out of the initial 225 neonates and their mothers, 216 were studied after consent, and were analyzed data on prenatal care, characteristics of the neonate, resuscitation in delivery room, neonatal ventilation, hemodynamic and nutritional support, placental histology, and cytokines in the cord blood. The maternal conditions most associated to PTD were PT labor (43.1%), preeclampsia (39.4%), intrauterine growth restriction (30.1%), and urinary tract infection (23.1%). Antenatal steroids (ANS) and antibiotics (AB) were used in 72% and 42.7%, respectively. Out of the 216 neonates, most (61.6%) were less than 30 weeks of age, 53.7% were females, 37% were small for gestational age (SGA). Tracheal intubation (31.6%) was preferred over bag and mask ventilation (23.7%), and mechanical ventilation (MV) was used in 78.2%, for an average of 12.7 days. Surfactant was used in 64.4%. Mortality rate was 19.9%, and in neonates weighing under 1,000g, 38.6%. Early sepsis (EOS) (positive hemoculture) occurred in 3.7% and late sepsis (LOS) in 31.5%. Moderate and severe BPD occurred in 26.0% of cases. In the univariate analysis, BPD was associated with gestational age (GA) (p<0.001), birth weight (p<0.001), CA (p=0.005), LOS (p<0.001), EOS (p=0.020), days on MV and days in oxygen therapy (both p<0.001), surfactant (p<0.001), start of enteral feeding, days of parenteral nutrition (PN) and days to reach full enteral nutrition (EN) (all p<0.001). Incidence of histologic CA was 18.5% and 32.1% among those aged less than 28 weeks. CA was associated with antenatal AB (p<0.001), PT labor (p<0.001), GA, EOS (p=0.035), high levels of proinflammatory cytokines (all p<0.05), leukocytosis (p=0.019) and high band neutrophils (p<0.001). In the logistic regression model for BPD outcome, besides GA and oxygen therapy, the following variables remained significant: CA (p=0.020), LOS (p=0.002), days on PN (p=0.005) and late surfactant (p=0.030). The results reinforce the role of prematurity, oxidative injury and inflammation (CA and sepsis) in the pathogenesis of BPD, and indicates the need for better nutritional practices, as well as better care for early respiratory impairment and ventilation support, with possible influence in the prevention of BPD.
A qualidade do atendimento pré e pós-natal e da estrutura das Unidades de Terapia Intensiva Neonatais tem permitido a sobrevivência de crianças cada vez mais prematuras, aumentando a incidência de morbidades como a displasia broncopulmonar (DBP). Evidências fortes, recentes associam a corioamnionite (CA) e a resposta inflamatória, com desequilíbrio entre fatores pró-inflamatórios e anti-inflamatórios na patogênese dessa doença multifatorial, e a compreensão desse processo é importante para o desenvolvimento de estratégias mais adequadas na prevenção do parto pré-termo (PPT) e melhor atendimento ao recém-nascido (RN). O objetivo deste estudo prospectivo foi verificar a incidência da DBP em RNPT MBP e o impacto da CA histológica no seu desenvolvimento. Foram avaliados 216 RNs e suas mães, após consentimento, e analisadas: características do pré-natal, dos RNs, da reanimação, práticas do cuidado neonatal, histologia placentária e citocinas no sangue de cordão. O PPT se associou principalmente ao trabalho de PPT (43,1%), a pré-eclâmpsia (39,4%), ao crescimento intrauterino restrito (30,1%) e a infecção do trato urinário (23,1%). Corticoide e antibiótico (AB) antenatal foram usados em 72 e 42,7% dos casos, respectivamente. Mais da metade dos RNs era < 30 semanas (61,6%) e do sexo feminino (53,7%) e 37,0% eram pequenos para idade gestacional (IG). A intubação traqueal na sala de parto (31,6%) foi preferida à ventilação com bolsa e máscara (23,7%), e a ventilação mecânica (VM) foi utilizada em 78,2%, 12,7 dias em média. A utilização do surfactante foi 64,4%. A mortalidade global foi 19,9% e nos RNs < 1.000 g, 38,6%. Sepse (hemocultura positiva) precoce ocorreu em 3,7% dos RNs e tardia em 31,5%. A incidência da DBP moderada/ grave foi de 26,0%. Na análise univariada, a DBP se associou a: IG (p<0,001), peso ao nascer (p<0,001), CA (p=0,005), sepse precoce (p=0,020) e tardia (p<0,001), permanência em VM e dias de O2 (p<0,001), surfactante (p<0,001), início da dieta enteral, dias de nutrição parenteral (NP) e dias para alcançar dieta plena (todos com p<0,001). A incidência de CA foi 18,5% nos < 1.500 g e 32,1% nos < 28 semanas. A CA associou-se a: uso de AB antenatal (p<0,001), trabalho PPT (p<0,001), IG, sepse precoce (p=0,035), aumento das citocinas pró-inflamatórias (todos com p< 0,05), leucocitose (p=0,019) e aumento de bastonetes (p<0,001). No modelo de regressão logística para DBP, mantiveram-se significativos, além de IG e oxigenioterapia, a CA, sepse tardia, uso tardio de surfactante e dias de NP. Os resultados reforçam o papel da prematuridade, lesão oxidativa e inflamação (CA e sepse) na patogênese da DBP e evidenciam a necessidade de adequadas práticas de manejo nutricional, da dificuldade respiratória precoce e de suporte ventilatório do prematuro, todas podendo influenciar na prevenção da DBP.

Book chapters on the topic "Displasia broncopulmonar":

1

PEDROSO, L. K., E. A. CEZAR, and C. T. OKAMOTO. "DISPLASIA BRONCOPULMONAR." In MANUAL ACADÊMICO DE NEONATOLOGIA, 307–20. Editora CRV, 2021. http://dx.doi.org/10.24824/978652511387.6.307-320.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles

Conference papers on the topic "Displasia broncopulmonar":

1

D’Arcadia, M. Z., I. M. Oliveira, A. A. Pereira, A. O. Andrade, and V. M. G. O. Azevedo. "IMPACTO DA DISPLASIA BRONCOPULMONAR NA MUSCULATURA RESPIRATÓRIA ACESSÓRIA DE LACTENTES." In Congresso Brasileiro de Eletromiografia e Cinesiologia (COBEC) e o Simpósio de Engenharia Biomédica (SEB) - COBECSEB. Uberlândia, Minas Gerais: Even3, 2018. http://dx.doi.org/10.29327/cobecseb.78979.

Full text
APA, Harvard, Vancouver, ISO, and other styles

To the bibliography